segunda-feira, 30 de abril de 2012

Radio Chaos

Musiquinha boa para o feriado.

Balancinho

Isso. Um pequenino balancinho de um mês de vida desse blog.
Que não tem pretensão alguma, apenas fazer com que eu escreva sobre o que eu gosto ou o que me der na telha. E, mais que isso, prestar uma singela homenagem ao CANAL SPEED que a FOX SPORTS (Choremos Juntos!) fez o desfavor de tirar de nós.
Então, desde o dia 31 de março, data que dei o primeiro pontapé nesse blog, até hoje, 30 de abril, o que temos é o seguinte:
- 1.775 visualizações de página (média de 59,16 por dia. As minhas não contam, pois sempre entro logado (já fiz esse teste e a minha colega Lorena não me deixa mentir));
- Os acessos provém dos seguintes países: Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Rússia, França, Argentina, Colômbia, México, Canadá, Portugal e Espanha (esses cinco últimos com apenas um hit. O da Espanha, fiquei sabendo por uma fonte prá lá de confiável, foi do Fernando Alonso...);
- O navegador mais utilizado é o Explorer (41%), seguido do Firefox (23%) e Chrome (13%);
- O sistema operacional mais utilizado e o Windows (oh!, que surpresa), com 77%. Em segundo lugar vem um tal de SymbianOS/9.3, que nunca ouvi falar, com 7%. Android está em terceiro com 3%;
- Foram 83 postagens, que dá a média de 2,7 por dia. Só deixei de postar alguma coisa nos dias de Páscoa;
- O post mais visualizado é o "Rebosteio", com 192 hits;
- Ao todo foram 38 comentários (tem os meus no meio).
Bom, esse, então, é o primeiro balanço dessa minha empreitada.
E quer saber? Gostei do que vi. Mesmo que não haja tantos comentários nos posts, todos eles tem, ao menos, uma visualização. Siginifica que alguém, além de acessar o blog, visualiza um post especificamente.
Valeu a todos que tem lido - ou apenas visto - minhas bobagens!
E vão acessando que nos encontramos por essas paragens!

 

domingo, 29 de abril de 2012

Cada um na sua

Já vou avisando que não sou muito desse negócio de futebola. O tema desse post não é o futebola, mas a emoção que o esporte que determinada pessoa abraça para si lhe causa. É como o caso da Gabrielle Andersen, nas Olimpíadas de Los Angeles de 1984.
O objetivo é apenas cruzar a linha de chegada.
Ademais, esse vídeo, com a imagem desse senhorizinho, é providencial. Acabei de chegar da festa de aniversário de 102 anos do meu avô paterno.





E zé-fi-ni

Até que a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé não foi tão fiasquenta como eu pensei que seria. Depois do asfalto poeirento em 2010 e do dilúvio de 2011, a prova de hoje foi pianinho. Will Power venceu na maciota sem sem importar com o monte de merda que acontecida atrás de si. O cara já está se tornando o rei de São Paulo, a ponto do Celso Miranda brincar que o nome da cidade: quando em dias de Fórmula Indy ,a metrópole poderia se chamar São Power. Gostei do trocadilho. Nos três GP's em São Paulo, o cara venceu todos.
De resto não houveram muitas surpresas. Talvez o Castroneves que poderia tencionar um pódio, mas que não conseguiu por conta de sua última parada.
A considerar:
- Barrichello não está mau, não. Tirando a primeira corrida, sempre terminou entre os 10 primeiros;
- Dario Franchitti, o escocês voador, ao contrário, não está nada bem. O campeão do ano passado é apenas o décimo terceiro da tabela de pontos, com dois décimo lugares (São Paulo e Alabama) e dois décimo terceiro (St. Pete e Long Beach);
- Das pilotos mulheres, a mais bonita é a Simona De Silvestro (de Silvestre, para o Luciano do Valle...);
- A narração do Celso Miranda (BandSports) é muito melhor que a do Luciando do Valle (Bandeirantes);
- O que tem que mudar para os próximos anos é o nome dessa corrida. Convenhamos que chocolate com cerveja não combina muito bem, né?
- E a fiasqueira do pódio? Os caras não conseguiam abrir uma garrafa de cerveja! Me dessem uma colher eu abriria na hora...


Boquinha

18 minutos para começar a Indy. Já que minha senhora não está, vou ter que me virar com um Subway mesmo.
Aliás, vendem cerveja no Subway?


Que continue assim

Gostei demais da atitude do BandSports de transmitir na íntegra a corrida de abertura do DTM (campeonato alemão de turismo, em uma tradução liberal como dizem por aí), que aconteceu agora à pouco em Hockenheim. Dizem que vão transmitir a etapa da semana que vem, também ao vivo. O motivo, imagino, é o fato de Augusto Farfus Jr. (curitibano, diga-se) fazer sua estréia nesse ano, vindo do WTCC. Não por coincidência, correndo de BMW.
É certo que o GP foi interrompido por algumas vezes para dar lugar a alguns flashes direto do Anhembi, para mostar alguma notícia de última hora que não intessava muito da Fórmula Indy. Mas foi o mínimo.
Quanto à corrida, supremacia da marca das três pontas. Gary Paffett venceu, seguido de seu companheiro, Jamie Green. Matias Elkström, da Audi, completou o pódio.
Para aqueles que não conhecem, é bom ficar de olho no DTM. Paul Di Resta, piloto da Force India, saiu de lá.
Pelo que tenho visto nos últimos dias, resta a nós, amantes das corridas de carro, nos socorrermos com a BandSports. Semana passada os caras estavam passando V8 Super Cars Australiana e hoje de manhã, antes do DTM, Copa São Paulo de Kart.
E espero, de verdade, que a BandSports possa estudar a viabilidade de voltar a transmitir as etapas da NASCAR, como acontecia até 2009.
Aí sim, torcemos juntos!

Coisinha linda essa merça do Paffett



Quase lá

Foi por pouco. Mais precisamente por 0,70s que Dale Jr. não venceu ontem em Richmond, quebrando seu jejum de 137 corridas sem vitórias (desde 15/06/2008, em Michigan). Como disse em um post aí embaixo, agora é questão de tempo para que Junior vença sua primeira corrida depois da seca braba.
Ontem o piloto do Impala 88 largou em décimo e chegou em segundo, pouco atrás de Kyle Busch (que tem a incrível marca de 4 vitórias seguidas em Richmond).
Arrisco dizer que Dale poderia ter ganho ontem não fosse um probleminha que enfrentou nos pits. Quando estava saindo da sua troca de pneus, foi atrapalhado por Matt Kenseth que "estacionou" seu carro de fianco em seu box. Com isso, Dale perdeu algumas posições na pista que poderiam lhe render uma relargada melhor.
Mesmo assim, esse segundo lugar fez com Dale Jr. subisse duas posições na tabela no campeonato. Agora está em segundo, a apenas 5 pontos do lider, Greg Biffle.
Outros destaques foram a bandeira preta que Carl Edwards tomou quando relargou fora da zona permitida e a punição de Jimmie Johnsonn, que teve como motivo um pneu desgovernado no momento em que fazia seu pit stop (o mecânico da troca deve entregar o pneu substituído para alguém do pit-wall. Ao invés disso, simplesmente jogou para alguém pegar).
Menção mais que desonrosa para o FOX SPORTS (Choremos Juntos!) que mais uma vez desrespeitou na cara dura seus assinantes. A corrida começou às 20h30min (vi pela internet) e, no seu lugar, o canal estava transmitindo mais um joguinho mequetrefe de basquete entre dois times sabe-se lá de onde (fosse NBA, vá lá). No site da emissora, na grade de programação, a notícia de que a Sprint Cup seria transmitida em VT a partir das 2h30min de hoje.
Vergonha total.

sábado, 28 de abril de 2012

Esta é a razão

Complementando um post aí embaixo onde disse que gosto de NASCAR pela mesma razão que o caboco gosta de futebol, nada mais justo que dar uma justificativa visível.
Taí, então, a resposta. O final espetacular da corrida da Nationwide Series de ontem (27/04) em Richmond. Vá direito para os 5min30s (2 voltas para terminar).

Porque não fazem sempre?

A Bandeirantes, através da BandSports, está fazendo o maior furdúncio, transmitindo todos os treinos livres da Indy 300, que será realizada em São Paulo, amanhã. Agora a pergunta: porque os caras não fazem isso em todas as transmissões de todas as corridas? Só porque está acontecendo no Brasil? Ora, isso é que o chamo de patriotada.
Nesse ponto, temos que dar o braço (os dois) a torcer para a Globo: todo, mas todo treino livre da Fórmula 1, é transmitido pela SporTV. E nunca a vênus prateada deixou de televisionar um treino classificatório e uma corrida inteira (tá certo, houveram exceções. As mais recentes foram o GP dos EUA de 2005, com seis carros, e o GP do Canadá do ano passado, que teve quatro horas de duração, por força da forte chuva. Quando a corrida foi interrompida a Globo passou para um (argh) jogo de futebol e só voltou no finalzinho).
Enquanto isso, a Bandeirantes não transmitiu nenhuma das três corridas que já aconteceram esse ano na íntegra (justiça seja feita, a BandSports, sim. Portanto, que não tem TV a cabo fica a ver navios).
Acho uma falta de respeito fazer, agora, esse fuzuê todo, só porque a corrida é no Brasil. Por isso que os caras não conseguem emplacar a "emoção pura".
Ah, e torçamos para que esse ano não chova.


O simpático

A pachecada é complicada. Foi só o Alonso entrar na Ferrari que, pronto, o mundo todo estava contra Felipe Massa. Isso com muito crédito de Galvão Bueno, Cia & Padrão Globo de Jornalismo, onde esporte que não tem brasileiro vencendo não é bom. Vide, agora, esse reality show que inventaram para promover essa nova modalidade de luta-livre que inventaram, a tal da UFC. Tem brasileiro vencendo, já se torna o novo esporte nacional. Todo mundo sempre acompanhou, todo mundo adora. Eu não. Mas isso é assunto para outro post.
"Os" viúvas do Senna, pois é deles que vem a gritaria toda, tem que entender que, não, brasileiro não é sempre perseguido na F-1. Na Ferrari, principalmente.
Barrichello não aceitou o rótulo de segundo piloto. O problema foi ele ser contemporâneo de Schumacher em uma época que não existiam tanto pilotos bons como acontece hoje. Não que o alemão seja excepcional, apesar dos números. Só não teve adversários.
O mesmo acontece com Felipe Massa. Ele está lutando com um carro ruim - e aí está a diferença para o Alonso, piloto excepcional que consegue tirar algum proveito do pífio rendimento da F2012. E não é difícil imaginar que o acidente que sofreu em 2009 possa ter influenciado no seu desempenho. Mas mau piloto, definitivamente ele não é.
Como disse Fernando Alonso, em entrevista no GP do Bahrein, "Felipe venceu no Bahrein duas vezes”, recordou. “Ele não precisa provar nada”.


sexta-feira, 27 de abril de 2012

Mecânica para mulheres

Minha amiga Lorena pediu para colocar no blog dicas de como trocar pneu.
Taí, pedido atendido!
(Cadê o macaco da moça?)

 


JJ48

O título do post é somente para os familiarizados. Mas eu explico, pois minha educação de lorde não permite deixar meus leitores na dúvida: JJ é de Jimmie Johnson. 48 é o número do carro que ele pilota na Sprint Cup.
E para entenderem o porquê de hoje eu não escrever sobre o Dale Jr., reproduzo, abaixo, a reportagem do site Tazio.com:

Mesmo sem o título da Sprint Cup em 2011, o pentacampeão da Nascar, Jimmie Johnson, foi eleito pelo segundo ano consecutivo o atleta mais influente dos Estados Unidos, em lista divulgada nesta segunda-feira pela publicação americana “Forbes”.
A pesquisa realizada pela Nielsen e E-Poll entrevistou mais de 1.100 pessoas para definir o esportista mais influente do ano. Na eleição, diversos tópicos foram observados, entre eles capacidade de liderança, simpatia e até beleza física. Apenas atletas profissionais em atividade e conhecidos para “ao menos 20% do grande público” foram permitidos na lista.
“Foi uma grande honra, não apenas para mim, mas para a Nascar como um todo”, disse Johnson, que deixou para trás figuras de respeito nos EUA como Tim Tebow, Eli Manning e Tom Brady, todos notáveis quarterbacks da NFL, e o popularíssimo colega Dale Earnhardt Jr.
A inclusão de Jimmie também não deixa de ser surpreendente após o mediano desempenho do californiano na temporada 2011, quando conquistou duas vitórias em Talladega e Kansas – o menor número de conquistas do piloto na Sprint Cup desde 2001, quando estreou na categoria.
Segundo a “Forbes”, Johnson se destaca pelo “talento” e pela “conduta despojada”, que o torna um elemento idolatrado não apenas pelos fãs, mas por seus patrocinadores – que diga-se de passagem, incluem a gigante do mercado automobilístico Chevrolet.
Atleta mais influente dos EUA pelo segundo ano consecutivo, Johnson, além de premiado, é um multiatleta. Antes de ser pentacampeão na Nascar, foi mergulhador e nadador, além de protagonizar um reality show na HBO, o 24/7: Race to Daytona.

Ainda assim sou mais o Dale.

60 anos de NASCAR

Muita gente me pergunta como é que eu posso gostar de um esporte onde os carros ficam dando "trocentas" voltas para o mesmo lado. Daí eu tenho vontade de respoder, mas minha educação britânica me impede: "do mesmo modo que você gosta de ver 22 homens correndo atrás de uma bola"...
E não percam: esse final de semana a NASCAR completa 60 anos em Richmond. Amanhã a partir das 20h em qualquer bom canal da Internet ou, se começar no horário, no FOX SPORTS (Lamentemos Juntos!).

Just a comment

Nunca ouviu Djalmalhes Jorgelhes Showslhes? Sua noção de humor no rádio se resume a Pânico? Putz, meu amigo, então você está mal das pernas...

Eu já decorei

Amanhã começam os treinos livres para a terceira edição da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé (nome horroroso), a partir das oito da matina.
Hélio Castroneves, em entrevista, disse que o Rubinho se adaptou muito bem, obrigado, aos bólidos. Creio, inclusive, que o "autódromo" estará mais cheio que nos anos anteriores justamente pela presença do brasileiro.
Agora a dúvida: será que a Bandeirantes vai transmitir a corrida inteirinha? Porque as três primeiras etapas foram todas capadas pela emissora.
Aí embaixo os brasileiros que participarão da corrida. Vou torcer pela Bia.

Brazilian News Conference

Mais uma perdida

Esse final de semana começa o DTM alemão. E com duas novidades: a volta da BMW depois de 18 anos de ausência e a estréia de Augusto Farfus, que veio do WTCC.
No primeiro dia de testes, hoje, o brasileito terminou em vigésimo primeiro.
E como não podia deixar de ser, depois que o SPEED virou essa joça de FOX SPORTS (Choremos Juntos!), não mais teremos os compactos das corridas às segundas à noite.
Se quisermos assistir os pegas teremos que nos virar pela internet.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Já tá me enchendo...

Sem contar os canais HD MAX Premium Mega Ultra Power, existem seis canais exclusivos de esportes na NET (ESPN Brasil, ESPN, SPORTV, SPORTV2, BAND SPORTS e FOX SPORTS (Argh!) e mais três que transmitem algum esporte lá de vez em quando (Bandeirantes, Globo e FX). Tem mais, tipo a Record, RedeTV (acho) e outros. Mas esses são café-com-leite.
Pois bem. Liguei a TV ontem às 23h e olha a programação desses canais:
BAND - Paraná X Palmeiras (ao vivo!)
GLOBO - Paraná X Palmeiras (ao vivo!)
ESPN Brasil - Paraná X Palmeiras (ao vivo!)
SPORTV - Paraná X Palmeiras (ao vivo!)
SPORTV2 - Goiás X Atlético MG (não sei se ao vivo ou não)
ESPN - Goiás X Atlético MG (não sei se ao vivo ou não)
FX - Bolivar X Santos (é da Bolívia?)
FOX SPORTS (ui!) - Inter (RS) X Fluminense (ao vivo?)
BAND SPORTS - um time contra outro. Não consegui ver os nomes porque naquela réguinha (tem acento?) que aparece quando se troca de canais, a programação era "FIA GT - Etapa Bélgica". E o nome dos times no canto da tela estavam muito pequenos.
Viram que beleza!? Nove belas bostas de jogos de futebol, sendo que em quatro canais era o mesmo...
E os caras do FOX SPORTS (choremos juntos!) dão como justificativa para capar o SPEED o fato de que há muita demanda por futebol. Que demanda? Com todos esses canais televisionando futebola???
Ah, vão pá...

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Além das pistas

Tem outros esportes que me chamam a atenção além do automobilismo. Basquete é um deles.
Hoje não acompanho quase mais nada. Quando estou na frente da TV, sapeando no controle remoto, e vejo algum jogo passando, assisto. E só.
Foi-se a época em que eu, meu pai, meu irmão, primos e amigos, reuníamo-nos para jogar até dez da noite e ficar discutindo quem era o melhor pivô, armador, ala. Meu pai nem tanto, pois era mais café-com-leite!
É certo que existiam algumas unânimidades. Michael Jordan (Chicago Bulls), Charles Barkley (Phoenix Suns), Larry Bird (Boston Celtics), Magic Johnson (LA Lakers), David Robinson (San Antonio Spurs - ídolo do meu irmão na época) e tantos outros. Eu era torcedor fervoroso do Lakers, com direito à camiseta e tênis (ambos Made in Parágua...). Lembro que a Bandeirantes é quem transmitia os jogos que quase sempre eram de madrugada. Álvaro José era o nome da fera que fazia as narrações.
Mas haviam dois jogadores que, mesmo sendo de outros times, faziam eu sonhar com o basquete como meio de vida (não fui tão longe quanto minha esposa, que foi vice-campeã brasileira, mas tive meus tempos do Copa Itaú e Olimpíadas Positivo).
Karl Malone (Utah Jazz) e Clyde Drexler (Portland Trail Blazers), foram, para mim, em suas posições, os melhores.
Karl Malone

Drexler era ala-armador e deixava a turma de queixo caído com suas planadas no ar. Sério, o cara começava a saltar da entrada do garrafão e só terminava na cesta. Não dava para entender como ele fazia aquilo.

Clyde Drexler

Karl Malone também era ala-pivô. Só que era um ala diferente, porque era forte prá cacete. Tinha 2,06 metros e pesava 114 Kg. Dele lembro das enterradas sucintas. Nada de firulas. O cara recebia a bola e pronto. Tava na cesta. Sobre Malone tem esse site aqui com mais informações.
Não sei como está a NBA hoje, mas uma coisa é certa: vai ser difícil a liga reunir novamente tanto craque de uma só vez.

Sodoma e Gomorra (2)

Ainda sobre o post "Sodoma e Gomorra", recomendo o vídeo aí de baixo. Que trata da "obsolência planejada", pela qual bens de consumo são feitos para durar pouco.
O vídeo é um pouco longo, mas vale a pena. Até mesmo porque é muito bem editado.

Tinham coragem

video

Sob o pomposo título "pilotar F1 é fácil", o vídeo acima é contribuição do meu amigo Sérgio "Speed" Planicheski.
Realmente, as pancas não eram brincadeira.

A nova Sodoma e Gomorra

Achei esse vídeo no blog do jornalista Flávio Gomes. Ao final dele (vídeo) há a explicação do seu porquê.
A seguir, um trecho do texto do jornalista:
"Só que essa maluquice tem um preço. Os moradores de Agbogloshie, um subúrbio de Acra, capital de Gana, sabem bem qual é. Diariamente chegam ao país toneladas de sucata eletrônica em contêiners, que são jogados num imenso lixão tecnológico. As imagens são impressionantes. Os restos vêm do mundo inteiro. Dos países industrializados e desenvolvidos, descartados por consumidores enlouquecidos de tudo que aparece nos comerciais de TV, nas promoções das grandes lojas, na garagem do vizinho, na baia do colega de trabalho que troca de iPhone e de iPad a cada seis meses, de tudo que sai das esteiras movidas por engrenagens que a gente nem sabe mais onde começam a girar, mas que vão, claro, levar este planeta a um fim inglório."
Por isso que não é difícil acreditar que o fim do mundo realmente está chegando.


terça-feira, 24 de abril de 2012

Mecânica para mulheres

Daí que furou o pneu traseiro esquerdo da Romi-Isetta e a moça colocou suas luvas para não estregar o esmalte na troca.
Mas, cadê o estepe?

Radio Chaos

Desta década, certamente a mais bela música.

Keep the focus

Quando se corre consistentemente como Dale Jr. e Martin Truex Jr. tem corrido esse ano, a vitória chega. O simples fato de se colocar na posição de vencer a cada semana, faz com que a vitória seja questão de tempo. É isso que Larry McReynolds, do SPEED norte-americano, diz.
Dale Jr. não vence uma corrida desde junho de 2008 e Martin Truex Jr., desde junho de 2007. Esse ano ambos estão consistentes. O primeiro é o quarto no campeonato e o segundo, segundo.
Da maneira como estão andando, não é difícil vê-los terminar em primeiro e segundo em Richmond.
É para isso que torcemos. E, nesse caso, torcemos juntos!

 
             

Mas onde?

Se você entrar no site do SPEED brasileiro encontrará a programação diária do canal. Agora a pergunta: onde?

segunda-feira, 23 de abril de 2012

One question

Não vi a Sprint Cup domingo (ontem), no Kansas. Estava viajando. Mas a pergunta que não quer calar é: será que o Fox Sports (Choremos Juntos!) conseguiu transmitir a corrida toda ao vivo? Começou desde o começo (sic) com oração, hino e comando de ligar os motores? Alguém poderia me responder, por favor?
Temo pelo que vai acontecer sábado, 28/04, com a corrida de Richmond. Será à noite...

Pior que o Galvão

Mas, bah, muito, mas muito pior! Se tem um cara que não sabe narrar lhufas é o tal do Luciano do Valle. E a Bandeirantes ainda fez o (des)favor de afastar o Téo José da transmissão da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé (que nome horrososo) para colocar o dito cujo como speaker principal.
Já não bastasse a fiasqueira que esses eventos são no Brasil - F1 inclusa - ainda vamos ter que aguentar o cara errando o nome de toda a pilotada. Capaz de chamar Barrichello de Felipe Massa...
Dica do meu irmão Izac.


Just a comment

Previsão do tempo segundo a gauchada. Totalmente excelente.

Mais dois blogs

Pessoal, aqueles que curtem a boa mesa já tem duas ótimas opções na internet. A primeira é o site do meu amigo Chef Fabiano Kormann, dono de uma rotisseria e fiambreria em Montparnasse. No garecuisine você encontrará muitas receitas elaboradas com a qualidade de quem tem formação no Institut Paul Bocuse.


Outra dica gastronômica é o site do meu amigo Gerson, que também manja de espetinhos, voltado para quem curte um bom hamburguer gourmet. No burgerfellas tem blog, cardápio e muito mais.
Então, vão lá nos blogs dos meus amigos, sapeiem à vontade, mas não esqueçam de voltar no meu.
E aos meus amigos chefs, pensem em uma maneira de recompensar esse humilde blogueiro pelo free jabá...

domingo, 22 de abril de 2012

Festa e Hailka

Já fostes para Mallet? Não? Bom, se você já foi para Águas de Dorizon, então, já.
Dorizon e sua água termal são ótimos. Quem diria que em pleno final de abril ficaríamos uma tarde toda na piscina? E descoberta! É certo que, já noite, descobrimos que dava para usar a piscina coberta... Mas o que conta é o espetáculo de dia que passamos no local na companhia de bons e agradáveis amigos.
Existe, porém, um outro lado de Mallet que conhecemos hoje e que foi muito, mas muito interessante.
Diz a lenda que Mallet tem a Igreja Ucraniana mais antiga do Brasil. E nessa toada, então, nossos anfitriões nos levaram para conhecê-la. Eles mesmo estiveram lá uma única vez e o templo estava fechado. "Vai que damos sorte", pensei.
O caminho é meio penoso. Tem um trecho de "estrada de barro" que tem que ir pianinho. Mas nosso motorista era esperto e tirou de letra qualquer perengue que pudesse ter surgido. Lá pelas tantas achamos um senhorzinho e uma senhorinha que nos fizeram sinal para parar. Acabamos não parando, porque imaginamos que eles queriam nos dizer que a estrada estava interditada ou coisa semelhante. Eu imaginei que o tiozinho estivesse meio balão e não estava conseguindo voltar a pé para casa (parêntese: tem muito bar perdido nos recôndidos de Mallet).
Assim seguimos viagem. E quando estávamos chegando na Igreja avistamos um movimento que pensamos ser uma missa que estava sendo rezada. Ao nos aproximarmos vimos que não era missa, mas sim uma quermesse! Uma tradicional festa de Igreja ucraniana!
Chegamos e o povo todo nos olhava com cara de assustado. Todos ucranianos(as) loirinhos(as). Nada de "mano", "mina", "tiriça" e o carai a quatro. Uma festa de família, como devem ser as boas festas de Igreja.
Já ambientados ao lugar, e o lugar a nós, entramos na Igreja. De madeira, diga-se. Simples, mas muito bem cuidada. Vi, de longe, uma placa com o slogan do Brasil, um país de todos, dando conta da sua revitalização. Foi muito bem feita, a revitalização. Não creio que o governo tenha feito isso. Deve ter sido um mecenas caridoso e o governo, que não é bobo nem nada, tratou de tirar proveito da coisa toda. Pelo que vi do povo que lá estava, porém, acho que ninguém vota no Lula ou Dilma...
Depois do tour na Igreja, fomos ao pavilhão anexo. Compramos pão caseiro, um sonho de goiabada, duas Pepsis, uma rifa para concorrer a uma costela e uma caixa de cerveja, e uma broa que esqueci o nome. Tinha "paiero" para vender. Fazia anos que não sentia o buquê de um bom e velho fumo de corda, enrolado no palheiro do milho.
Bom, ficamos por ali, meio que cercando o lorenço, porque mais tarde iria comecar uma dança tradicional ucraniana, a Hailka. A Hailka consiste em uma pessoa puxar uma fila e os convidados dela irem fazendo parte. Em poucos minutos a fila que tinha três pessoas já estava com mais de cinquenta. E assim o povo vai, cantando e dançando. E falando uncraniano!
Foi muito legal termos chego na Igreja justamente no dia da festa que, nos disseram, acontece só duas vezes por ano! (preciso acertar uma mosca dessas na hora da fézinha...)
Ficamos por lá umas duas horas até que resolvemos voltar.
No caminho nosso amigo conjecturou: "no fim das contas, acho que o senhorzinho e a senhorinha que vimos queriam mesmo era carona para a festa".
A rifa? Não sei quem ganhou. Saímos antes e não deixamos o telefone.



 
Atualizando: hoje, 28 de abril, o programa Meu Paraná, da RPC, é todo sobre Mallet. Mostra como foi feita a reforma dessa Igreja aí de cima.


Enquanto isso na América

Danny Hamlin venceu sua segunda corrida no ano (a outra foi Phoenix), o que o fez subir uma posição na tábua de standings. Agora está em quinto, atrás do idolo nascariano deste humilde blogueiro, Dale Earnhardt Jr.
Não pude ver a corrida, pois estava voltando de viagem (falo disso no outro post). Mas pelo jeito Dale fez uma corrida somente para garantir os pontos, já que largou em sétimo e em sétimo chegou. Poderia, ele, ter beliscado algo melhor, caramba. Matt Kenseth, que largou em décimo oitavo chegou em quarto.
Acho que Dale Jr. poderia ser um pouco mais agressivo. Carro para isso ele tem. O problema é que chega determinado ponto da corrida que o cara fica apático. Pelo menos esse ponto tem chego quase sempre quando ele está no top 10. É isso que ainda o está garantindo no Chase.
Mas já está na hora do piloto do 88 beliscar uns top 5 com mais frequência e uma ou duas vitórias nesta primeira fase para chegar nos playoffs mais sossegado.



Na briga?

Foi boazinha a corrida do Bahrein. Mas poderia ter sido melhor caso Raikkonen tivesse ultrapassado o alemão chorão. Como o finlandês estava chegando no alemão antes do último pit stop, até pensei que o cara iria colocar pneus macios (os amarelinhos). Mas não. Pelo contrário, o jogo de pneus amarelinhos que o cara tinha continuou nos boxes. Acho que Eric Boulier (chefe da equipe Lotus), deve ter se lembrado da caca acontecida na corrida da China quando, com os pneus em petição de miséria, Raikkonen perdeu 10 posições em uma volta. Então, melhor garantir um segundinho do que nem pontuar.
De resto, Massa conseguiu seus primeiros dois pontinhos no campeonato - nada que vá fazer a bolsa explodir - e a Force India conseguiu um belo sexto lugar com Di Resta.
A comentar: o golaço (de gole grande) que Kimmi deu na garrafa de champagne antes de comemorar o pódio.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Pausa

Esse blog ficará meio às moscas amanhã. Farei uma breve viagem com minha senhora, mas domingo votaremos ao ritmo normal.
Mas não vou embora sem antes falar algo da NASCAR.
A notícia mais interessante dessa semana foi a visita de todos os 12 pilotos que participaram do CHASE à Casa Branca, no dia 17 de abril. Só por aí dá prá ver a popularidade que o esporte tem.
E domingo não percam a corrida do Kansas. Sob protestos, mas acho que dá Jimmie Johnson.
Aí embaixo uma foto aleatória que peguei no site da NASCAR para ilustrar o post.

WASHINGTON, DC - APRIL 17: NASCAR driver Dale Earnhardt Jr. poses for a picture with a guest during an event on the South Lawn, April 17, 2012 at the White House in Washington, DC. President Obama hosted the 2011 NASCAR Sprint Cup Series Champion Tony Stewart to honor his championship season.

Ainda acho um

Existem sedã e perua mais bonitos que esses dois?

Radio Chaos


Bon Iver, Holocene.
Ainda tem gente que faz música boa.



Nova campanha...

...para a volta do SPEED.

Chamem o Giuliani

Acho que todos já devem ter visto que o GP de Fórmula 1 no Bahrein está acontecendo sob muita tensão por conta das manifestações populares contrárias ao governo.
Alguns integrantes da Force India acabaram se perdendo quando estavam indo para o hotel e pasaram um perrengue danado em uma zona de conflito. Teve até bomba molotov explodida próxima ao carro onde estavam. Com medo da situação, um dos integrantes pediu para retornar à sede da escuderia, na Inglaterra.
Mas não é essa a consideração que quero fazer. É sim sobre o que Vettel disse em entrevista coletiva quando perguntado se estava preocupado em correr no Bahrein.
Vettel comparou o cenário de violência encontrado no país com que ele encontra no Brasil, quando a F1 aqui aporta. "No Brasil, há lugares em que não queremos estar", disse o bicampeão de 2010 e 2011.
Tá, pode ser que a frase não soe tão "oh, que coisa horrorosa". Mas é de se pensar.
Esses caras, pilotos, membros de equipe, rodam o mundo inteiro e a comparação que um deles faz do Bahrein é justamente com o Brasil.
Ou seja, algo está muito errado nessa terra. Jenson Button, no GP Varzeano de 2010, foi vítima de uma tentativa de assalto nas portas de Interlagos. O carro onde ele estava (um Mercedes Classe B, blindado), foi cercado por bandidos que estavam fortemente armados. O motorista, treinado pela própria McLaren, foi hábil o suficiente para se desvenciliar dos lazarentos.
O fato é que a violência por essas bandas está beirando as raias do insuportável. O cabra mata o outro por qualquer motivo fútil, irrelavante. É uma violência gratuita sem limites. Ah, você acha que não? E que tal as torcidas (des)organizadas que, 100% das vezes, vão ao estádio apenas para arranjar encrenca? Duvido que haja um integrante dessas facções que deixe os "mano" de lado para ir ao estádio sozinho, sentar na cadeirinha e apreciar a partida. Nada disso. Esses ignóbeis tem um prazer mórbido em se reunir em seu curral, ir às ruas urrando gritos de desordem e promover o caos.
E o pior, como disse aí em cima, é que toda essa violência é gratuita! Ficam, as pessoas de bem, subjugadas por um sem número de desqualificados sem razão aparente para tanto ódio (lógico que as drogas estão 90% por trás disso tudo).
Não que justifique - longe disso - mas o que se vê em países onde há tanta violência quanto no Brasil é que muitas das vezes esta até tem um motivo. Pode ser político, religioso, ideológico. Mas de graça como aqui, difícil.






quinta-feira, 19 de abril de 2012

E agora?

Acabo de receber uma mensagem do meu amigo Diogo:
- Churraspoker hoje?, diz ele.
- Onde, que horas e quanto tem que pôr na mesa?, digo eu.
- Cash, R$ 20,00 só prá brincar. Na asa do William (deve ser na casa dele).
- ...
- Confirma?
- Bom, não sei jogar essa porra, mas sei beber e carnear. (...) Ainda não vou confirmar, mas entro em contato até às seis, ok?
- Cara, preciso confirmar já. Ele precisa comprar as coisas...
- Quem já tá na jogada?
- 5 semi confirmado.
- Me põe nessa lista dos semi, então.
- Caceta, vai ou não?
- Vou. Me passe o endereço do caboco. Só os 20tão ou tem que levar alguma coisa?
- R$ 20,00 por cacife, se perder muito, muito mesmo, são 3 cacifes. Mais a carne e cerva.
- E seu eu não jogar? Eu não sei jogar poker, carai!
- Se vira!! Cara vamo lá, te pego em casa.
- Só vou se você entrar no meu blog. Que horas tem que estar lá? Chego em casa às sete.
- Quer ir comigo? Te pego às 19h.
- Se não tiver problema, beleza. Valeu!
- Só preciso do endereço...
Já chamei uma amiga que manja barbaridade de poker prá me ensinar o basicão.

Nostalgia

Se tem uma coisa que dá prá aproveitar na Gazeta do Povo é a coluna "Nostalgia" do Cid Destefani. De resto, é aquele padrão vênus prateada de jornalismo (falando em padrão Globo de jornalismo, vocês não se irritam com os trejeitos dos repórteres? Todos, sem exceção, homem ou mulher, seguram o microfone sem usar o dedão e falam dando soquinhos ao final de cada frase. Puta merda, que coisa irritante!).
Acho muito legal ficar lendo essas colunas da Curitiba de outrora. Não peguei a época de ouro da cidade, onde surgiram as figuras folclóricas, os escritores famosos, os nomes dos bairros e os apelidos dos pontos de encontro. Mas tenho uma boa lembrança de quando era criança.
Como morava em Colombo e estudava no Positivo do Champagnat, tinha que sair de casa para pegar o busão de 6h15min. Chegava na rodoviária "velha" e subia até a praça Tiradentes para pegar ou o São Braz, ou o Savóia, para chegar a tempo no colégio.
No caminho vinha observando aqueles prédios antigos da Rua XV. A Confeitaria das Famílias, a Riachuelo, o Banco Banestado, as Livrarias Ghignone. Nunca pensava em nada muito excepcional, afinal nessa época tinha entre 10 e 12 anos. Mas foi o cenário que, durante três anos, encarava todo santo dia e que acabou sendo arquivado em algum canto do meu cérebro.
Os textos do Cid são deliciosos e me lembram muito essa minha época passada. Hoje, um pouco maior, já tenho condições de assimilá-los com a vida no passado de Curitiba e região. Quem nunca se imaginou morando em uma época em que os homens andavam nas ruas de terno? Ou em que as crianças iam para a escola com uniforme composto por camisa, gravatinha, calção, meia, sapato e cinto pretos?
Uma coisa é certa, do jeito que o troço anda, com todo mundo só pensando em fazer prédio em qualquer esquina vazia, a única lembrança que teremos de antigamente serão esses escritos do Sr. Destefani.

A cobertura do leito da Rua XV com pedras eliminou o trânsito de automóveis, em 1972 (Arquivo CD)






Quero todos!

A Editora DeAgostini está lançando uma coleção de miniaturas só de carros brasileiros. São 50 carros-inesqueciveis-do-brasil.
Por enquanto não tem fotos de todos no site. Só do Karmanga, Opalão, Fuca e Puma.
Eu já elegi os meus favoritos: Ford Del Rey Ouro 1982 e Ford Belina II 1980. São os carros que lembram minha infância. Meu pai teve um Del Rey Scala Ouro 1984 e uma Belina II LDO 1979.
São os carros que mais tenho saudades até hoje.


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Love for life

Foi isso que o FOX SPORTS tirou da gente.

De chorar!

Pode ser que nem todos sintam o que eu senti vendo esse vídeo. Para mim, arrepia a espinha. A combinação das cenas, a música e, principalmente, as legendas, mostram que essa é a essência disso tudo. A superação. A vitória.
Prestem atenção aos 3min e aos 3min17s. É disso que estou falando.
Ah, e assistam com o som alto. Bem alto.



Atualizando: "Sigmund Freud, 75 years ago, said that this kind of people have a death wish, that, deep down, they really want to die. And Freud is wrong, they don't have a death wish."


Mecânica para mulheres


"Esse carro é inglês", dizia a competente mecânica.

Quero um

Pode até andar sempre na bacia das almas, mas é um dos carros mais bonitos do grid.
E essa miniatura ficaria linda na minha prateleira.

Radio Chaos

Meu amigo Rogério me ensinou a postar vídeos aqui. Agora ninguém me segura!
E prá começar, que tal essa versão de uma das mais belas músicas já feitas? E olha a qualidade dos intérpretes!



terça-feira, 17 de abril de 2012

Just a comment

Como diz o ianque, ainda sólido.

O tal do feiçebuque

Eu tenho feissebooque. Tenho mas não gosto. Entrei e saí dessa joça umas três ou quatro vezes. A última entrada foi justamente para divulgar esse blog. Vou ficar por lá mais uma temporadinha e caio fora.
Muita coisa do que o pessoal conhece acaba sendo por redes sociais. Neguinho nunca pisou em um autódromo e já se acha o seu doutor quando a pauta é criticar o Barrichello, por exemplo, porque ouviu um caboco que "curte" dizer que o cara é ruim. Ah, vá pastar, carai!
Como disse Flávio Gomes em seu blog, "o problema dessa garotada é seu total e absoluto desconhecimento do que quer que seja. São profundos especialistas em Facebook, Twitter e Instagram, mas da vida nada compreendem. Conhecem os personagens do “Pânico”, gargalham com “memes”, têm no YouTube sua principal fonte de informação e inspiração".
Tão ruim quanto essa alienação mental da gurizada, é ter que aguentar os filósofos de plantão. A todo momento surge um dando lições de moral. Geralmente vem com aquelas mensagens de como manter os amigos. Gostaria de saber quantos amigos de verdade esse cara tem. No feiscebúk pode até ter 875, mas com quantos o cara se solidariza dia-a-dia?
Amizade boa é aquela do boteco, do churrasco com os amigos, do kart de final de semana (futebol para quem preferir). Como diz o Dr. Tufi, meu amigo cardiologista entendor barbaridade de UFC, não existe terapia melhor que o papo furado.
Sexta é o dia que tiro para, depois do trabalho, ir na Cantina Açores, aqui em Curtiba, botar a prosa em dia com meus amigos. De cerveja em cerveja encontramos a solução para todos os problemas da vida. E se a solução não chega no dia, não tem problema, sempre tem o sábado, o domingo, para mais uma cerveja e mais conjectura.
Cumpre explicar para quem não entendeu o objetivo deste texto, que é obvio, claro e evidente que não estou generalizando. Existem muitos - a maioria, acho - que tem nas redes sociais uma fonte de informação ligada aos assuntos que gosta. Ou que "curte", para usar a linguagem adequada. Redes sociais são a nova forma de se comunicar. Estão no mesmo patamar que o e-mail há uns 15 anos. Mas não podem ser tidas como substitutas do corpo a corpo, do olhar, do sorriso, das piadas ao vivo. 
O mundo já está meio complicado, pasteurizado. O que mais se ouve é que ninguém tem tempo para mais nada. Bobagem.
Sempre haverá tempo para reunir a família, os amigos para um belo churrasco e fazer algo que atrás do computador não é possível: simplesmente conversar.


Dois blogs

Pessoal, dois blogs de amigos meus para vocês acompanharem.
O primeiro é o do meu cumpadre Robson - na verdade quem administra tudo, a casa, inclusive, é a cumadre... - e fala das andanças da Família Gazoni Santos pelos lados de uma cidade às margens do Rio da Prata e que tem como um dos pontos turísticos uma Casa Branca, mas pintada de rosa...
O endereço é esse aqui: http://familiaporai.wordpress.com/



O outro é do meu amigo Rogério, e tem o sugestivo nome de "proseando solito". Me disse, ele, que no Carnaval de 2013 vai desfilar no bloco do Eu Sozinho.
O endereço? Oras, pois: http://proseandosolito.blogspot.com.br/


Perdemos Juntos!

Sábado passado o FOX SPORTS (Choremos Juntos!) fez o desfavor de começar a transmitir a Sprint Cup, no Texas, em VT. Já disse isso em um post abaixo.
Daí comecei a pensar no verdadeiro prejuízo que nós, que gostamos de carro, automobilismo e tudo que tem motor e corre, tivemos. Não foi só as corridas de NASCAR que a Fox Sports ceifou. Foi muito mais.
Também já disse que alguns programas ainda ficaram na programação. Dos que vi, apenas o Pinks e o Monster Jam estão na grade. Mas em horários totalmente indecentes: 3 da matina e 6 da manhã. Ridículo, para dizer o mínimo.
Porém, outros excelentes programas também foram capados na cara dura pelo Fox Sports.
Não temos mais o GP Racing on Track, que passava um resumo sobre a corrida seguinte de F-1. Por exemplo, a corrida do Bahrein acontecerá (acho) domingo que vem. Na quinta, o GP Racing on Track passava uma matéria sobre a peleja. Como os pilotos estavam se preparando, "coisas para fazer em Denver quando se está morto", etc.
Também ficamos sem ter o GP Story, que mostrava momentos históricos da F-1. O acervo é coisa de cinema!
E o que dizer do recentíssimo NASCAR Ultimate Motorsport? Olha, se você, leitor, não entende nada de NASCAR, esse era o programa a ser visto. É tão atualizado que mostra até o campeonato do Tony Stewart, vencido ano passado.
E o WRC? Putz, acontecia uma etapa no final de semana e na mesma semana já aparecia um resumão de mais de uma hora com todas as especiais. Quem narrava era o Roberto Figueroa.
Até mesmo o Paris-Dakar teve um espaço exclusivo.
Tinha também DTM. É certo que esse era um dos pouquíssimos pontos fracos, já que as corridas eram passadas em VT, às segundas. Mas, pelo menos, o VT era na íntegra!
Tudo isso sem contar a sensação de conforto de chegar em casa a qualquer hora, apertar o botão do controle remoto e ver alguma coisa correndo.
Isso, infelizmente, não teremos mais. Agora a sensação que tenho é de desespero ao ligar a TV e ver (argh!) futebol...

The Real Mach 5 - seen on the Speed Channel

E você, do que sente falta do SPEED?



Sei não

Semana que vem é para acontecer o GP do Bahrein de F-1. 
Como a maioria já deve ter visto por aí, a situação no país não é das melhores. As divergências políticas são a tona das manifestações.
Do jeito que a coisa anda, sei não se esse GP sai do papel.
Em todo caso, uma coisa no meio dessa balbúrdia me chamou a atenção. Vocês viram a qualidade das pichações dos manifestantes? Pelo menos não é esse monte de risco que esses analfabetos pichadores brasileiros fazem. 




segunda-feira, 16 de abril de 2012

Motivo

Só prá lembrar porque esse blog existe.



Just a comment

O do meio já foi prá fita também?


Atualizando: a Fernanda, minha senhora, me disse que todos os três já foram dessa para uma melhor (ou pior). O do meio foi de morte morrida, ou seja, infarto. Acho eu.

Pegou a mão

Barrichello se adaptou rapidinho aos carros da Indy. Na primeira corrida, em St. Pete, Florida, deu uma penada e terminou em décimo sétimo. No Alabama, ficou em décimo terceiro. E, agora, em Long Beach, CA, ia terminar em sétimo, mas Hélio Castroneves fez o favor de ferrar com tudo. Ficou em nono.
Eu sou mais que suspeito para falar, mas acho que Barrrichello não leva muito tempo para beliscar um pódio ou, quem sabe, até uma virória na Indy. Se observarmos a tabela hoje, ele está em nono, na frente, inclusive, de Tony Kanaan (décimo segundo) que já foi campeão da categoria e é o grande responsável pela estréia de Rubens na Indycar. 
Muita gente ainda enche o saco tirando sarro do cara. Aquele tipo de brincadeirinha que já perdeu a graça há uns 10 anos, pelo menos. Não vou me dar ao luxo de descrever aqui, mesmo porque já é tarde da noite e eu não faço questão de lembrar de nenhuma dessas gracinhas. O fato é que a cultura global de que esporte prá ser bom tem que ter brasileiro vencendo acaba por transformar as pessoas em palpiteiros profissionais. E dos chatos, diga-se.
Barrichello teve vários excelentes resultados em sua carreira na F1. Dois vices-campeonatos e mais uma pá de vitórias que não lembro de cabeça e estou com preguiça de procurar. 
Talvez tenha faltado um pouco de sorte? Acho que sim. Mas falta de competência não. Isso nunca faltou a Rubens Barrichello.
 
Atualizando, Barrichello tem 11 vitórias na F1. Onde e quando? Ah, vai procurar, meu filho!